Tecnologia

LinkedIn atinge 75 milhões de usuários no Brasil com forte crescimento da Geração Z

Impulsionada pela fatia mais jovem da força de trabalho, a rede social corporativa se consolida como ferramenta essencial para mais de 60% dos brasileiros

 (Photo by Justin Sullivan/Getty Images)

(Photo by Justin Sullivan/Getty Images)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 9 de junho de 2024 às 10h12.

Última atualização em 9 de junho de 2024 às 11h01.

O LinkedIn alcançou um marco significativo no Brasil, atingindo 75 milhões de usuários, o que representa mais de 60% da força de trabalho nacional. Esse crescimento foi impulsionado especialmente pela Geração Z (nascidos entre 1997 e 2012), cuja presença na plataforma aumentou de 2,5% em 2010 para 40% em 2024. Este grupo é o que mais cresce no LinkedIn, ficando atrás apenas dos Millennials (nascidos entre 1981 e 1996), que representam 51% dos usuários.

De acordo com um levantamento da rede social comandada pela Microsoft, as áreas de saúde, varejo e atendimento ao consumidor – cargos considerados "linha de frente" – são aquelas onde a Geração Z está mais presente. A plataforma destaca que a proporção de profissionais da Geração Z no LinkedIn é mais expressiva do que sua representação na população brasileira.

Perfil dos usuários brasileiros

Os usuários brasileiros do LinkedIn em geral são provenientes de setores como serviços profissionais, manufatura, serviços administrativos, varejo e educação. A plataforma tem sido um recurso essencial para muitos profissionais, com 65% dos usuários utilizando a rede para se candidatar a empregos, e para mais de um quarto, é a principal ferramenta para essa função.

Entre os benefícios apontados pelos usuários estão a sensação de estar conectado à sua rede profissional e a possibilidade de se manter atualizado sobre as informações do mercado de trabalho. Conteúdos informativos têm ganhado cada vez mais força na plataforma, com o dobro de engajamento em comparação a outras publicações.

O LinkedIn revelou que quase 50 milhões de profissionais acessam a rede todas as semanas para buscar oportunidades, manter conexões e aprender. Para o próximo ano, a plataforma planeja investir mais em inteligência artificial (IA), com novidades já previstas para os próximos meses.

Acompanhe tudo sobre:LinkedInAppsRedes sociais

Mais de Tecnologia

Na era do vício digital, a abstinência e a liberdade de 24 horas sem WhatsApp

Agora todos poderão ver o que você comenta em um story do Instagram; saiba como

Boeing Starliner tem retorno à Terra adiado pela segunda vez

Internet em qualquer lugar? Starlink, de Elon Musk, lança antena do tamanho de um laptop

Mais na Exame