De volta à ativa e em campanha eleitoral

hero_Às vésperas das eleições nos EUA, 'The Boys' volta mais político e ácido do que nunca

Homelander e Ryan na quarta temporada de The Boys (Prime Video/The Boys)

selo
Pop

Às vésperas das eleições nos EUA, 'The Boys' volta mais político e ácido do que nunca

Em entrevista exclusiva à EXAME, elenco fala sobre as expectativas para a quarta e penúltima temporada da série

selo
Pop

Às vésperas das eleições nos EUA, 'The Boys' volta mais político e ácido do que nunca

Em entrevista exclusiva à EXAME, elenco fala sobre as expectativas para a quarta e penúltima temporada da série

Homelander e Ryan na quarta temporada de The Boys (Prime Video/The Boys)

Por Luiza Vilela

Publicado em 13/06/2024, às 18:50.

Última atualização em 21/06/2024, às 20:46.

De volta à ativa e em campanha eleitoral

Se sangue, sexo, explosão, gore* e palavrão são coisas que te afastam de uma série, "The Boys" talvez não seja o melhor conteúdo para maratonar em um fim de semana. Mas fica aqui a súplica para que você dê à produção uma chance: o universo dos super-heróis problemáticos criado por Erick Kripke é um dos poucos que, por meio da ficção, consegue "botar o dedo na ferida" da vida real tão bem.

Nesta quinta-feira, 13, a quarta temporada de "The Boys" estreia no catálogo do Prime Video mais ousada do que as primeiras e no timing ideal. A menos de seis meses das eleições nos Estados Unidos, marcadas pela polarização entre Joe Biden e Donald Trump, a série chega ao streaming com candidatos super-heróis em período eleitoral. E seus valores, apesar de representados dentro de um universo ficcional, têm uma verossimilhança ácida com a realidade.

Homelander (Antony Starr) aparece na quarta temporada em maus lençóis. O personagem responde pelo assassinato de um homem que protestava contra ele no período de pré-eleições, uma das cenas finais da terceira temporada. Mesmo visto cometendo o crime em praça pública, o herói é venerado por seus apoiadores e vira símbolo de algo maior.

Na internet, os fãs o relacionam com outras figuras políticas norte-americanas, em especial porque o personagem é uma sátira ao herói patriota seu uniforme leva a bandeira dos Estados Unidos como capa. Questionado sobre a preocupação de ser associado a um candidato real nas eleições dos EUA, Antony Starr acredita que isso é inerente a seu trabalho como ator.

"Entendo a associação, e também acho que a série é ousada. Mas eu realmente não olho para isso, para ser honesto", diz ele em entrevista exclusiva à EXAME horas antes de entrar no palco da CCXP MX, realizada na Cidade do México, em maio. "Não é meu trabalho. Não escrevo os roteiros. O que importa para mim é que, uma vez que recebo o material dos escritores, realmente aplico minha verdade a ele e como preenchê-lo com o personagem que interpreto. Essa associação aí é um problema do Eric Kripke", brinca.

Além do protagonismo político, na quarta temporada, Homelander também terá uma vivência mais próxima com o filho Ryan (Cameron Crovetti). Ainda descobrindo como administrar os poderes, a criança se vê dividida entre duas figuras paternas: o próprio Homelander, seu pai biológico, e Billy Butcher (Karl Urban), personagem complexo que quer vingança pela morte de sua esposa, a mãe de Ryan. Ao fim da terceira temporada, o garoto opta pelo pai de sangue e se vê tentado a um caminho sombrio.

"Primeiro de tudo, a criança é fantástica. Ele é um ótimo atorzinho e nos divertimos muito juntos. A paternidade sempre foi um tema forte na série. Não vou dar spoilers, mas agora, com Ryan, isso vai ficar mais latente", revelou o ator. "Desde o início, a série está em uma grande jornada de amadurecimento. Mas isso vem com muito humor e agora não será diferente".

Em conjunto com o tão odiado Homelander, a vilã da vez é Victoria Neuman (Claudia Doumit), candidata à vice-presidência no universo da série. Se passando por humana para o público, mas secretamente uma das super-heroínas mais perigosas do universo, ela forma uma aliança com Homelander e ganha popularidade na mídia e do povo — para o pesadelo dos "The Boys".

"A série faz um trabalho brilhante de espelhar a sociedade e os eventos atuais que estão acontecendo. É provocativo na medida certa, cria essa conexão com a realidade e opções caóticas de futuro", diz Doumit. "Para mim, é uma posição difícil. Ela [Victoria] é muito manipuladora e, ao mesmo tempo, muito poderosa. Digo, ela pode de verdade explodir sua cabeça com a mente! Infelizmente, isso funciona brilhantemente para ela como política".

Fotos da 4ª temporada de 'The Boys', do Prime Video

Os garotos estão de volta

Do lado de quem coloca o voto na urna, o quarto ano de "The Boys" vai explorar ainda mais pontos importantes para a sociedade, que vão desde a aplicação da Justiça até a maneira como a mídia interfere nas decisões do povo. Será um olhar atento (e sangrento) tanto para quem está em cima do palanque quanto para quem luta por outros ideais, enredo focado nos garotos, grupo composto por Butcher (Karl Urban), Hughie (Jack Quaid), Annie/Starlight (Erin Moriaty), Kimiko (Karen Fukuhara), Mother's Milk (Laz Alonso) e Frenchie (Tomer Capone). 

O grupo tenta impedir a ascensão política de Victoria, ao mesmo tempo em que busca por maneiras de impedir que os super-heróis se mantenham no poder e continuem a cometer atrocidades impune, ofuscadas pelo poder da Voght.

Annie (Erin Moriaty) será uma personagem importante nesse processo. Na última temporada, ela abandona os dias como Starlight e se une aos "The Boys" para pôr um fim na empresa.

"Ela sempre dará esperança para o público, porque ela está constantemente enfrentando um dilema moral. O tempo todo ela se questiona sobre o que é certo e o que é errado, e eu acho que talvez seja por isso que as pessoas se identifiquem com ela", explica Erin à EXAME. "Nesse mundo caótico de 'The Boys', que reflete tão bem o nosso mundo real, essa jornada de amadurecimento da Annie vai ser importante na quarta temporada", pontua.

Em conjunto com ela, o público pode esperar mais cenas com Kimiko, que passou por um importante dilema na terceira temporada. Sempre em guerra com seus próprios poderes, no fim, ela mesma escolhe assumi-los como um fardo. Agora, sua presença será fundamental para garantir a vitória dos "boys".

"Os poderes que foram dados a ela foram forçados, só trouxeram tragédia. Mas acho que no final da terceira temporada, nós a encontramos em um bom lugar, onde ela queria estar, com os meninos. Ela é parte da família e ela quer usar seu poder para o bem, apesar do fardo", explica Karen. "O que posso dizer é que na quarta temporada, ela está realmente utilizando seus poderes. Ela acha que ela acha que está sendo moralmente correta, mas há momentos em que, bem você sabe... Até onde eu li o roteiro, fiquei tipo: 'essa não é a melhor resposta, pessoal'. Esperem por dilemas morais".

Fotos da 4ª temporada de 'The Boys', do Prime Video

Heróis reprimidos

Assim como Kimiko e Annie, a série trabalha com personagens que se veem diante de várias escolhas éticas e morais. Oprimidos pela autoridade de Homelander na Voght,os sete supers que estampam capas de revistas e protagonizam filmes serão postos à prova na quarta temporada.

É o caso de The Deep (Chace Crawford). Em uma estranha relação com Homelander, o personagem será um aliado importante para mostrar ao público uma ponta de humor e de pena, juntas e misturadas.

"Vou te dizer que interpretar o Deep não é fácil, viu?", brincou o ator durante a entrevista. "Gosto de fazê-lo porque é desafiador, mas é um personagem que lida um pouco com a vergonha, com vários questionamentos. Ele não se sente poderoso o suficiente. Quando comete um crime, sente que fazer essas coisas e se safar delas não é tão simples para ele. Na quarta temporada, nós o vemos explorando um pouco mais sua autoconfiança, talvez com raiva".

Neste ano, são oito episódios ao todo. Três deles já estão disponíveis na plataforma, os demais serão divulgados semanalmente, todas as quintas-feiras, até o dia 18 de julho. A quarta temporada também será a penúltima da série: a história de "The Boys" se encerra na quinta temporada, ainda sem previsão de estreia. O universo deve continuar a existir no spin-off da série, "Gen V", também disponível no Prime Video.

Fotos da 4ª temporada de 'The Boys', do Prime Video

Veja também

Qual é o enredo de 'The Boys'?

"The Boys" é uma série criada com base nos quadrinhos de Garth Ennis e Darick Robertson que imagina como seria se os super-heróis vivessem no mundo real e atual, na era da internet. No universo do programa, eles são assessorados como celebridades pela empresa Voght, protagonizando filmes e se envolvendo diretamente com a política do mundo. Mas estão longe de serem "do bem", como são os outros heróis famosos da cultura pop.

Distante da imagem do Super-Homem, Batman, Homem de Ferro e Capitão América, a maior parte dos super-heróis de "The Boys" age conforme seus desejos e pouco se preocupa com as consequências de seus atos. Humanos mortos por heróis são casualidades "escondidas" da mídia tanto quanto a corrupção que os envolve.

Onde assistir 'The Boys'?

Todas as temporadas estão disponíveis no catálogo do Prime Vídeo, serviço de streaming da Amazon.

*Gore: subgênero cinematográfico caracterizado por cenas violentas, com sangue, vísceras e restos mortais expostos na íntegra.

**A repórter viajou para a Cidade do México à convite do Prime Vídeo.

Compartilhe este artigo

Tópicos relacionados

Veja também

Que horas começa 'House of the Dragon'? Veja horário e onde assistir online
Pop

Que horas começa 'House of the Dragon'? Veja horário e onde assistir online

Shannen Doherty, atriz de 'Barrados no Baile', morre aos 53 anos
Pop

Shannen Doherty, atriz de 'Barrados no Baile', morre aos 53 anos

'Capitão América: Admirável Mundo Novo' ganha trailer com Harrison Ford e data de estreia
Pop

'Capitão América: Admirável Mundo Novo' ganha trailer com Harrison Ford e data de estreia

Angela Merkel como detetive? Série de comédia mostra face inusitada da ex-chanceler
Pop

Angela Merkel como detetive? Série de comédia mostra face inusitada da ex-chanceler