Negócios

Empresa que começou vendendo máquina de escrever compra startup de IA pra faturar R$ 715 milhões

Hoje o negócio cuida de 160.000 equipamentos como impressoras e computadores em empresas brasileiras

 (Selbetti Tecnologia/Divulgação)

(Selbetti Tecnologia/Divulgação)

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 11 de junho de 2024 às 07h34.

Última atualização em 11 de junho de 2024 às 08h17.

Vem de Joinville, em Santa Catarina, um bom exemplo de uma empresa que precisou se adaptar às atualizações do mercado (e da sociedade) para continuar operando — e faturando cada vez mais.

A Selbetti Tecnologia começou como uma revendedora de máquinas de escrever da Olivetti em 1977. Na época, a família Selbach já vendia móveis para escritórios quando entendeu que podia também comercializar outro produto que se tornava cada vez mais comum nas mesas das empresas: os equipamentos de datilografia.

Nascia assim a Selbetti, uma junção do sobrenome da família, Selbach, com a marca Olivetti.

Com o tempo, a empresa foi vendendo outros produtos da marca Olivetti, como calculadoras, máquinas de telex, máquinas registradoras e, principalmente, impressoras. Foi nesse momento, há cerca de 20 anos, que a empresa mudou a operação, focando mais em tecnologia.

“Quando as copiadoras viraram máquinas multifuncionais, entendemos que tinha a possibilidade de oferecer às empresas uma gestão completa de impressão”, fala Junior Selbach, atual CEO da companhia e membro da segunda geração da família fundadora do negócio. “Adicionamos então uma camada de serviços, com um sistema que dá para ver quem imprimiu, quem mandou imprimir, onde imprime”.

Hoje, 20 anos depois, a empresa é uma das principais gestoras de impressoras no país. Na prática, ela aluga as máquinas de impressão para as companhias e faz a gestão dos equipamentos, da instalação à manutenção.

Nos últimos anos, passou a alugar também outros equipamentos de tecnologia, como notebook, celulares e computadores. Hoje, são 160.000 equipamentos sob gerenciamento, além do fornecimento de software de gestão.

Quer dicas para decolar o seu negócio? Receba informações exclusivas de empreendedorismo diretamente no seu WhatsApp. Participe já do canal Exame Empreenda

Agora, dá um novo passo para sua estratégia de ficar cada vez mais tecnológica: acaba de comprar a InterCompany, uma startup que aplica inteligência artificial em diversos processos industriais e tecnológicos para reduzir custos e dar mais agilidade aos negócios.

“Temos uma plataforma de assinatura eletrônica, com a InterCompany, faremos um processo mais automatizado, mais rápido”, diz Junior. “Temos uma outra plataforma que é para atendimento de call center. Vamos deixar os robôs mais automatizados e inteligentes para conversar com o cliente. Essas são duas das aplicações possíveis, mas a Intercompany vai poder oferecer IA para todos os clientes”.

O braço de segurança da informação e de gerenciamento em nuvem tão passarão a ter funcionalidades de inteligência artificial. A equipe da Intercompany, cuja sede é em São Paulo, continuará na operação, bem como o sócio-diretor Marcelo Cereto.

A meta da Selbetti é faturar 715 milhões de reais neste ano, 30% a mais do que os 550 milhões de reais que faturou em 2023. Desse aumento, metade deverá vir das novas aquisições que fará ao longo de 2024. Além da Intercompany, outras três aquisições devem ser feitas ainda neste ano.

Como a Selbetti está crescendo por meio de aquisições

Desde 2014, a estratégia de crescimento da Selbetti é pelo modelo de aquisições. Nesses últimos 10 anos, foram cerca de 30 compras de outras empresas para estruturar o modelo de negócio.

“A primeira aquisição foi uma empresa concorrente de Caxias do Sul. Fizemos essa compra porque queríamos nos tornar a maior prestadora de serviço no Sul do país”, afirma. “Desde então, não paramos de comprar. Somos a maior companhia independente de gestão de impressoras”.

Para se ter uma ideia, em 2023, apenas as empresas adquiridas somaram faturamento superior a 100 milhões de reais.

“Esse movimento voltado para a aquisição de novas empresas nos permite acelerar ainda mais o nosso crescimento enquanto provedora de soluções em tecnologia, além de oferecer um portfólio maior de produtos aos nossos clientes”.

Acompanhe tudo sobre:Tecnologia

Mais de Negócios

Apple mantém diálogos com concorrente Meta sobre IA

30 franquias baratas para começar a empreender a partir de R$ 9.500

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Mais na Exame