Mundo

Presidente eleita do México propõe reforma judicial; peso já caiu 8% desde eleição

Futura mandatária diz que deve nomear seu gabinete na próxima semana

Claudia Sheinbaum quer fazer reforma que vem assustando os mercados

Claudia Sheinbaum quer fazer reforma que vem assustando os mercados

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 11 de junho de 2024 às 09h34.

A presidente eleita do México, Claudia Sheinbaum, disse na segunda-feira que pode encorajar amplas discussões sobre reformas constitucionais, incluindo uma revisão judicial que assustou os mercados,.

De acordo com a Reuters, reforma proposta pela presidente substituiria os juízes do Suprema Corte por magistrados eleitos pelo povo, bem como alguns tribunais inferiores. Críticos alegam que a manobra  poderia alterar o equilíbrio de poder no México.

O gesto de Sheinbaum repercutiu mal no mercado financeiro local. O peso se desvalorizou 2%, para cerca de 18,55 por dólar. Ela acrescentou que não acredita que as reformas propostas impactarão o peso.

O que vem acontecendo até agora, porém, é o oposto do discurso da presidente. O peso mexicano caiu 8% desde a eleição de Sheinbaum, no início do mês. Foi a maior queda desde a pandemia de COVID-19. O principal índice de ações do país caiu quase 4%.

Sheinbaum, falando numa conferência de imprensa após uma reunião com o atual presidente e seu mentor, Andrés Manuel López Obrador, disse que a reforma estaria "entre as primeiras" que poderiam ser aprovadas, juntamente com alguns benefícios sociais que seriam turbinados. Sheinbaum toma posse apenas em outubro.

Algumas das medidas fazem parte de uma série de reformas constitucionais propostas por López Obrador em fevereiro, que também eliminariam as principais agências reguladoras, de acordo com a Reuters.

Na ocasião, o mercado não ficou agitado, mas os investidores soaram o alarme quando a coligação governista se concentrou para formar uma maioria parlamentar necessária para aprovar as reformas constitucionais.

A coligação de Sheinbaum obteve uma supermaioria de dois terços na Câmara Baixa, mas ficou aquém no Senado.

Claudia Sheinbaum acrescentou que nomearia seu gabinete na próxima semana e que receberia uma equipe enviada pelo presidente dos EUA, Joe Biden, nesta terça-feira.

Acompanhe tudo sobre:México

Mais de Mundo

Dalai Lama chega a Nova York para tratamento nos joelhos

Chefe de Governo alemão pede a Milei para prestar atenção à 'coesão social'

Calor extremo mata mais de mil pessoas durante peregrinação a Meca

Ministro israelense viaja a Washington para negociações cruciais sobre guerra em Gaza

Mais na Exame