Inteligência Artificial

Musk ameaça banir dispositivos da Apple de suas empresas após novidade com ChatGPT

Bilionário afirmou que proibirá produtos da Apple caso integração com ChatGPT siga adiante

Posicionamento de Musk mostra uma clara 'guerra' entre as companhias pela liderança em inteligência artificial (Getty Images)

Posicionamento de Musk mostra uma clara 'guerra' entre as companhias pela liderança em inteligência artificial (Getty Images)

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 11 de junho de 2024 às 09h33.

Última atualização em 20 de junho de 2024 às 13h55.

Elon Musk, CEO da Tesla e SpaceX, anunciou, no X, que proibirá o uso de dispositivos da Apple em suas empresas caso a gigante de tecnologia integre o software da OpenAI ao seu sistema operacional. A decisão, revelada em 10 de junho, é uma resposta à integração do chatbot ChatGPT na assistente digital Siri, anunciada pela Apple durante a WWDC 2024. As informações são da Bloomberg.

Musk, cofundador da OpenAI que posteriormente se desvinculou da empresa, alega que a integração representa uma "violação de segurança inaceitável". Ele argumenta que a medida compromete a segurança das informações em suas empresas, levando-o a banir dispositivos Apple, incluindo os de visitantes, que serão armazenados em 'gaiolas' para bloquear sinais eletromagnéticos.

"Caso a Apple integre OpenAI no nível do sistema operacional, os dispositivos Apple serão banidos em minhas empresas. Isso é uma violação de segurança inaceitável", afirmou Musk no X, plataforma na qual é dono.

A decisão de Musk reflete a acirrada disputa no mercado de inteligência artificial e as preocupações com segurança e privacidade de dados. A OpenAI, agora parceira da Apple e com alto investimento da Microsoft, rivaliza com a xAI, startup de inteligência artificial fundada por Musk, que desenvolveu o chatbot Grok.

Integração Apple + OpenAI

Vale destacar que a Apple apresentou outras novidades na WWDC 2024, além da integração com o ChatGPT. Entre elas, estão novas funcionalidades para o iOS 18, avanços no macOS 15, e melhorias no watchOS 11 e iPadOS 18. A empresa busca aprimorar a experiência do usuário por meio da inteligência artificial, tornando as interações mais naturais e eficientes.

A Apple dobrou a aposta no Vision Pro, óculos inteligente que foi lançada no início do ano e tem custo mínimo de US$ 3.499 (R$ 18.735), e anunciou a chegada do produto em novos países da Europa e da Ásia. A empresa também anunciou o Vision OS 2, seu novo sistema operacional.

Outro destaque foi o Apple Watch, que recebeu melhorias na tela inicial, como design mais personalizável e notificações mais detalhadas, e um aplicativo de saúde mais rico em informações, chamado Vitals.

Acompanhe tudo sobre:AppleOpenAIMicrosoftelon-muskTwitterChatGPTInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Nova IA para Alexa? Amazon vai atualizar serviço e pretende cobrar por isso, diz site

A IA no cotidiano: entre a produtividade e o riso

OpenAI melhora processo de recrutamento por temer espiões chineses

A inteligência artificial consegue contar boas piadas? Pesquisadores fizeram o teste

Mais na Exame