Inteligência Artificial

Microsoft desiste de assento de observador no conselho da OpenAI

A empresa afirmou que viu "progressos significativos" nos últimos oito meses e que está confiante na direção da OpenAI

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 10 de julho de 2024 às 10h05.

Última atualização em 10 de julho de 2024 às 10h18.

A Microsoft anunciou na terça-feira, 9, à noite que está desistindo de seu assento de observador no conselho da OpenAI, destacando que viu "significativos progressos" nos últimos oito meses e que está confiante na direção da empresa, não considerando mais necessário o assento.

"Nos últimos oito meses, testemunhamos progressos significativos do novo conselho e estamos confiantes na direção da empresa." "Dado tudo isso, não acreditamos mais que nosso papel limitado como observador seja necessário," acrescentou a Microsoft.

A OpenAI reconstituiu seu conselho a partir de novembro com o retorno de Altman como CEO, mantendo apenas um membro anterior do conselho (Adam D'Angelo) e adicionando Bret Taylor como presidente, além do ex-secretário do Tesouro Larry Summers. Mais tarde, a empresa reintegrou Altman ao conselho e continuou a adicionar membros, mais recentemente o ex-oficial da NSA Paul Nakasone.

A Bloomberg relatou na semana passada que a OpenAI planejava dar ao executivo da Apple, Phil Schiller, um assento de observador. A Apple e a OpenAI anunciaram uma parceria no mês passado que permitirá aos usuários de iPhone e Mac usarem o Siri para consultar o ChatGPT. Com a saída da Microsoft, a OpenAI não planeja mais ter observadores em seu conselho, segundo uma fonte familiarizada com o pensamento da empresa.

Ao desistir de seu assento de observador, a Microsoft remove um potencial ponto de discórdia para os reguladores antitruste que poderiam se opor ao envolvimento significativo da gigante com a OpenAI. "Estamos gratos à Microsoft por expressar confiança no Conselho e na direção da empresa, e esperamos continuar nossa parceria de sucesso," disse a OpenAI em um comunicado enviado ao site Axios. A OpenAI acrescentou que está "estabelecendo uma nova abordagem para informar e envolver parceiros estratégicos chave — como Microsoft e Apple — e investidores — como a Thrive Capital e a Khosla Ventures".

 

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialOpenAIMicrosoft

Mais de Inteligência Artificial

Quando a IA se torna ferramenta de vigilância política

Namorada gerada por IA? Aplicativo quer acabar com a 'crise de solidão' no Japão

Cerca de 80% das empresas no Brasil investiram ou vão investir em IA nos próximos 12 meses

OpenAI define cinco níveis para alcançar a inteligência artificial humana

Mais na Exame