Future of Money

Coinbase: mercado de criptomoedas precisa "derrubar barreiras" para chegar a 1 bilhão de usuários

Maior corretora de criptomoedas dos Estados Unidos avalia que setor precisa de aplicativos mais amigáveis para usuários iniciantes

Coinbase é a maior corretora de criptomoedas dos EUA (Reprodução/Reprodução)

Coinbase é a maior corretora de criptomoedas dos EUA (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 10 de julho de 2024 às 09h30.

Última atualização em 10 de julho de 2024 às 10h47.

Chintan Turakhia, diretor sênior de engenharia da Coinbase, acredita que a meta da empresa de ajudar o setor de criptomoedas a chegar ao seu primeiro bilhão de usuário exigirá primeiro o desenvolvimento de aplicativos mais amigáveis, focados em usuários iniciantes e com pouco conhecimento sobre o setor.

Em entrevista ao Cointelegraph, Turakhia avaliou que o processo atual de integração de usuários nos aplicativos é complicado e repleto de pontos de atrito, o que é o principal problema para a adoção em massa de criptomoedas.

“Se nosso objetivo é trazer o próximo bilhão de usuários — e vamos começar com apenas 100 milhões — temos que eliminar todos esses pontos de atrito", defendeu o executivo.

Alguns dos pontos de atrito mais urgentes na visão de Turakhia incluem a necessidade de configurar uma carteira com uma fase inicial complicada, pagar taxas de transação e a necessidade de comprar tokens nativos de um blockchain para transacionar em uma rede.

A Coinbase é está entre as três maiores corretoras centralizadas de criptomoeda do mundo em termos volume, com um volume diário de negociação de US$ 1,86 bilhão, de acordo com dados da CoinMarketCap. Além disso, a exchange é a maior dos Estados Unidos.

Como parte dos seus planos para impulsionar a adoção em massa de criptoativos, a Coinbase lançou recentemente sua carteira inteligente, com recursos mais amigáveis para iniciantes.

A nova carteira substitui frases-semente complexas por opções de login mais fáceis para carteiras digitais, como nomes de contas e senhas, que poderiam se tornar o padrão para pagamentos, de acordo com Turakhia.

“Coisas com as quais muitos de nós que estamos na indústria estamos acostumados, como pagar pelo gás, ter um token nativo... Isso não é um tipo normal de lógica quando você está tentando pagar por uma xícara de café", comentou.

O executivo avalia ainda que aplicativos de consumo com potencial de uso diário, que estão sendo aprimorados pela tecnologia blockchain, serão o caminho para a adoção em massa: “O caminho para a adoção em massa são os aplicativos de consumo... Algo divertido, algo que não parece técnico ou relacionado a cripto, mas realmente divertido".

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Stablecoins representam o maior volume de lavagem de dinheiro com criptoativos, aponta pesquisa

NFTs de Donald Trump disparam após ex-presidente sobreviver a ataque nos EUA

CEO da BlackRock reconhece erro sobre bitcoin e vê ativo como "ouro digital"

"Fator Trump" cria volatilidade, mas pode fazer bitcoin disparar, diz gestora

Mais na Exame