Economia

Inflação de junho desacelera e fica em 0,21%; IPCA acumulado de 12 meses chega a 4,23%

O mercado financeiro esperava alta de 0,32% no mês e avanço de 3,88% no acumulado dos últimos 12 meses

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 10 de julho de 2024 às 09h01.

Última atualização em 10 de julho de 2024 às 09h26.

Tudo sobreInflação
Saiba mais

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), indicador que é a inflação oficial do Brasil, fechou o mês de junho com alta de 0,21%, desacaleração de 0,25 ponto percentual após avanço de 0,46% em maio. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O dado veio abaixo da expectativa do mercado, que esperava alta de 0,32% no mês e avanço de 4,35% no acumulado dos últimos 12 meses. O IPCA acumula alta de 2,48% no ano e, nos últimos 12 meses, de 4,23%.

Como ficou o IPCA de junho de 2024?

  • Inflação de junho: 0,21%
  • IPCA dos últimos 12 meses: 4,23%

Preço dos alimentos desacalera

O preço de alimentação e bebidas apresentou alta de 0,44%, desacaleração de 1,06 ponto percentual em relação a maio, quando o avanço foi de 0,62%. O grupo contribuiu com 0,10 ponto percentual (p.p.) para o índice de junho.

Na alimentação no domicílio, os preços tiveram alta de de 0,47%, desacelerando em relação à alta de maio (de 0,66%). Entre as maiores querdas, estão a da cenoura, redução de 9,47%, a cebola, queda de 7,49%, e as frutas, redução de 2,62% no mês. 

“Entre as frutas, chama a atenção o mamão, que por conta de uma oferta maior e a concorrência com outras frutas da época, teve uma queda no preço. Também a banana prata é destaque, com maior oferta, e ainda, uma perda de qualidade por conta da intensa variação de temperatura em algumas regiões produtoras”, explica André Almeida, gerente da pesquisa.

A cebola, que vinha de altas consecutivas, caiu pela maior oferta, principalmente por conta de melhores produções no Nordeste, onde houve redução de volume de chuvas e temperaturas amenas, segundo o IBGE. 

Entre as altas, a batata inglesa avançou 14,49%, o leite longa vida, 7,43%, e o arroz, 2,25%.  O café moído, com alta de 3,03%, também se destacou em junho. Em valorização no mercado internacional e com redução na oferta mundial do grão, o subitem tem alta acumulada de 12,15% em 2024.

No caso da Alimentação fora do domicílio, a variação foi de 0,37%, menos intensa do que em maio (0,50%). Os subitens lanche e refeição também desaceleraram na comparação mensal, com o primeiro passando de 0,78% para 0,39%, e o segundo de 0,36% para 0,34%.

Quem calcula o IPCA?

O cálculo do IPCA envolve várias etapas e considerações importantes. Vamos entender como isso é feito:

1. Amostra de produtos e serviços

O IPCA é calculado com base em uma amostra de produtos e serviços que representam os gastos das famílias brasileiras. Essa amostra é composta por cerca de 400 itens, que incluem alimentos, bebidas, habitação, transporte, saúde, educação, entre outros. A seleção dos itens é feita com base em pesquisas de orçamento familiar e em dados de consumo das famílias.

2. Pesquisa de preços

Para calcular o IPCA acumulado, o IBGE realiza uma pesquisa de preços em estabelecimentos comerciais de todo o país. Essa pesquisa é realizada mensalmente e envolve cerca de 30 mil estabelecimentos, incluindo supermercados, lojas de departamento, postos de combustível, entre outros. Os preços dos produtos e serviços são coletados e comparados com os preços do mês anterior.

3. Ponderação dos itens

Os itens da amostra do IPCA são ponderados de acordo com a sua participação nos gastos das famílias brasileiras. Itens que representam uma parcela maior dos gastos têm um peso maior no cálculo do IPCA. Essa ponderação é feita com base em dados de orçamento familiar e em pesquisas de consumo.

4. Cálculo do índice

O IPCA é calculado a partir da variação dos preços dos produtos e serviços da amostra. Essa variação é medida em relação ao mês anterior e é ponderada de acordo com a participação de cada item nos gastos das famílias. O resultado é um índice que reflete a variação média.

O que é IPCA acumulado?

O IPCA acumulado é um indicador que mede a variação dos preços de um conjunto de produtos e serviços ao longo de um determinado período. Ele é calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e é considerado o índice oficial de inflação no Brasil. O IPCA acumulado é utilizado para monitorar a inflação e é divulgado mensalmente.

O que significa a sigla IPCA?

A sigla IPCA significa Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Ele é um indicador que mede a variação dos preços de um conjunto de produtos e serviços consumidos pelas famílias brasileiras com renda mensal entre um e 40 salários mínimos. O IPCA é calculado pelo IBGE e é considerado o índice oficial de inflação no Brasil. Ele é utilizado para monitorar a inflação e é divulgado mensalmente.

Acompanhe tudo sobre:IPCAInflação

Mais de Economia

Novos dados aumentam confiança do Fed em desaceleração da inflação, diz Powell

Lula pede solução de contradições de europeus para acordo com Mercosul

Crescimento econômico da China desaponta e pressiona Xi Jinping

Prévia do PIB: IBC-Br sobe 0,25% em maio, após estabilidade em abril

Mais na Exame