Economia

Inflação em Porto Alegre é a maior do Brasil, com alta de 0,87%

O resultado é explicado pelas enchentes que afetaram todo o estado do Rio Grande do Sul

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 11 de junho de 2024 às 10h00.

Última atualização em 11 de junho de 2024 às 10h02.

Tudo sobrefundos-de-inflacao
Saiba mais

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), indicador que é a inflação oficial do país, de maio foi de 0,87% em Porto Alegre. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado é a maior variação da inflação entre as capitais do Brasil no últimos mês, e é explicado pelas enchentes que afetaram todo o estado do Rio Grande do Sul.

Entre as principais altas na cidade estão a batata-inglesa, que avançou 23,94%, o botijão de gás, com alta de 7,39%, e a gasolina, que aumentou 1,80%.

Os outras capitais que mais tiveram aumento nos preços foram São Luíz e Belo Horizonte, com avanço de 0,63%.

Dos 16 locais pesquisados, apenas Goiânia, com deflação de 0,06%. Esse resultado foi relacionado ao recuo de preços da gasolina (-3,61%) e do etanol (-6,57%) no município.

O dado também ficou acima do indicador nacional, que acelerou para 0,46% em maio. O dado veio acima da expectativa do mercado, que esperava alta de 0,42% no mês e avanço de 3,88% no acumulado dos últimos 12 meses.

Quem calcula o IPCA?

cálculo do IPCA envolve várias etapas e considerações importantes. Vamos entender como isso é feito:

1. Amostra de produtos e serviços

O IPCA é calculado com base em uma amostra de produtos e serviços que representam os gastos das famílias brasileiras. Essa amostra é composta por cerca de 400 itens, que incluem alimentos, bebidas, habitação, transporte, saúde, educação, entre outros. A seleção dos itens é feita com base em pesquisas de orçamento familiar e em dados de consumo das famílias.

2. Pesquisa de preços

Para calcular o IPCA acumulado, o IBGE realiza uma pesquisa de preços em estabelecimentos comerciais de todo o país. Essa pesquisa é realizada mensalmente e envolve cerca de 30 mil estabelecimentos, incluindo supermercados, lojas de departamento, postos de combustível, entre outros. Os preços dos produtos e serviços são coletados e comparados com os preços do mês anterior.

3. Ponderação dos itens

Os itens da amostra do IPCA são ponderados de acordo com a sua participação nos gastos das famílias brasileiras. Itens que representam uma parcela maior dos gastos têm um peso maior no cálculo do IPCA. Essa ponderação é feita com base em dados de orçamento familiar e em pesquisas de consumo.

4. Cálculo do índice

O IPCA é calculado a partir da variação dos preços dos produtos e serviços da amostra. Essa variação é medida em relação ao mês anterior e é ponderada de acordo com a participação de cada item nos gastos das famílias. O resultado é um índice que reflete a variação média.

Acompanhe tudo sobre:InflaçãoIPCA

Mais de Economia

Em 4 anos, rotas de integração vão ligar Brasil à Ásia, prevê Tebet

Anatel poderá retirar do ar sites de e-commerce por venda de celulares irregulares

Carteira assinada avança, e número de trabalhadores por conta própria com CNPJ recua

Em 2023, emprego foi recorde e número de trabalhadores com ensino superior chegou a 23,1%

Mais na Exame